São vários os benefícios que uma alimentação a base de vegetal pode causar. Por terem uma grande quantidade de vitaminas e fibras alimentares que são fundamentais para o nosso organismo, os vegetais ajudam a combater os mais diversos tipos de doenças.

É importante comer vegetais

Mesmo com todas as vantagens, só 23% dos brasileiros comem a quantidade certa de vegetais nas refeições, de acordo com pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde. E o motivo pode ser genético e/ou psicológico. Será que é o seu caso?

Um artigo publicado em julho de 2019 por alunos de pós-graduação em universidades do Rio de Janeiro e Santa Catarina, mostrou que algumas das barreiras encontradas por brasileiros na hora de consumir vegetal são: não ter costume e necessidade de preparo, ou seja, por não saber fazer.

Primeiramente, vamos entender o porquê da falta de costume.

Não gostar de vegetais pode ter explicações psicológicas ou genéticas

Estudos apontam que cerca de 25% da população tenha genes que intensificam a sensação de sabor, ainda mais quando se trata do “amargo”. Isso faz com que essas pessoas sejam mais enjoadas e evitem alimentos como espinafre ou brócolis, por exemplo.

Experiências ruins na infância também podem causar problemas na vida adulta na hora de incluir vegetal na refeição. Isso porque, se a criança foi forçada a comer jiló, por exemplo, ela pode ter criado uma memória negativa com esse alimento, afetando o psicológico dela.

Mas é possível contornar a situação com boa vontade e algumas adaptações na rotina.

Resolvido isso, vamos para a necessidade de preparo.

Alimentos ultraprocessados, como comidas congelas, é mais prático na hora de preparar, certo? Agora quando se trata de alimentos in natura (obtidos de plantas ou de animais) ou pouco processados, é muito mais difícil de fazer? Se sim, isso deve ao fato de que esses alimentos precisam ser selecionados, temperados, cozidos e combinados a outros alimentos que fiquem com mais sabor.

Mas a qual ponto o “prático” vale a pena? Os efeitos negativos que os alimentos visto como “práticos” trazem à saúde são ganho de peso, câncer, diabetes, hipertensão e até um maior risco de doenças cardiovasculares, entre outros. Por esse motivo, vamos deixar dicas de como dar mais sabor e deixar PRÁTICO o preparo de vegetais.

Primeiramente, vamos descobrir quais os grupos de vegetais:

1.Folhas/verduras: acelga, alface, couve, espinafre, repolho, rúcula, etc.
2.Flores: alcachofra, brócolis e couve-flor.
3.Legumes: abóbora, abobrinha, berinjela, chuchu, pepino, pimentão, tomate, entre outros
6.Raízes: batata, beterraba, cenoura, mandioca, rabanete, entre outras.
5.Caules: aipo, aspargo e palmito.

Curiosidade: Você sabia que além de cozida, frita, assada e a vapor, a batata ainda pode servida como suco? E mais, ela ajuda a amenizar desconfortos gerados pela Gastrite! Confira qui.

Varie no preparo dos vegetais

Dica 1 – Coloque brócolis no arroz

Por ter um sabor neutro, o brócolis misturado com arroz fica mais fácil de ingerir se você não gosta do sabor dele. Além disso, o brócolis é um vegetal rico em vitaminas e minerais que ajudam na saúde dos ossos, afasta doenças respiratórias, cardíacas e ajuda a melhorar o sistema imunológico.

Basta cozinhar o brócolis na água com sal, esperar até que fique macio e misturá-lo no arroz. Vale a pena tentar, não?

Curiosidade sobre o brócolis: Ele fornece fotoproteção contra raios ultravioletas do tipo B, ou seja, sabe aquela proteção que o protetor solar tem para a nossa pele? Ele proporciona resultados parecidos.

Dica 2 – Descubra novas saladas!

Vá além do alface, tomate e cebola e/ou aproveite-os para misturá-los com outros vegetais que você não tem o costume de comer. Antes de mais nada, que tal tentar colocar agrião, rúcula ou repolho roxo? Teste incluir legumes cozidos ou até frutas como manga e morango.

Por que não começar pela Salada Waldorf?

A base de maçãs, nozes e molho de iogurte. Simples e barata, ela é ótima para os dias quentes, já que é muito refrescante. Confira como fazer em um vídeo no Youtube com menos de 2min da Paulinha Boque, criadora da crepioca. Clique aqui.

Dica 3 – Misture vegetais nas vitaminas

Acrescente alguns vegetais crus nas vitaminas. As folhas de espinafre ou umas fatias de abobrinha passam despercebidos em uma vitamina preparada com banana e um pouco de leite. Os pepinos, as cenouras e o brócolis podem ser misturados com frutas doces como peras, uvas e frutas vermelhas, por exemplo. O doce das frutas farão com que os vegetais passem sem você perceber.

Dica 4 – Legumes gratinados

Combine seus ingredientes favoritos com legumes gratinados. Afinal, os gratinados de legumes são um ótimo acompanhamento para peixes ou carne moída. Teste!

Dica 5 – Espetinhos de legumes

Os legumes crus como cenouras, abobrinhas, por exemplo, podem ser picados e colocados em palitos de madeira, formando espetinhos. Aproveite e acrescente um molho da sua preferência. Abuse das cores e, assim também, a mesa fica mais bonita, além de saudável.

Dica 6- Coloque os legumes e vegetais no topo da geladeira

Temos o costume de colocar os vegetais e legumes no fundo da geladeira ou naquelas gavetas quase no pé no eletrodoméstico, certo? Deixar esses alimentos na parte superior garantirá que eles sejam consumidos mais rápido, isso porque estarão no alcance dos olhos, ou seja, toda vez que você for abrir a geladeira, lá estarão eles, lembrando você de que precisam ser consumidos também. Simples, não?

Dica 7- Descubra como você realmente gosta de legumes e vegetais

Talvez você não goste deles crus, mas pode gostar deles gratinados, cozidos ou assados. Explore as possibilidades.

Portanto, conforme orientação da nutricionista e consultora especializada em nutrição Jill Patterson: “Descubra as suas preparações prediletas e as incorpore no planejamento de suas refeições”.


Em suma, há pessoas que acham que o consumo de vegetais é benéfico apenas para o corpo, entretanto, varias pesquisam comprovam que adquirir esse hábito de consumo saudável pode reduzir em 16% o risco de transtorno depressivo, isso porque o bem-estar causado por uma boa alimentação afeta partes do cérebro, impactando o humor, a felicidade e a saúde de forma integral.

O que achou do post? Deixe aqui seu comentário. :)