fbpx

O segundo mês do ano é curto mas repleto de causas engajadas. Isso porque ele reúne as campanhas Fevereiro Roxo que têm como objetivo a conscientização e combate ao Lúpus, a Fibromialgia e o Mal de Alzheimer, além da Fevereiro Laranja – que visa primordialmente o combate à Leucemia.

Fevereiro Roxo e Laranja: mas como as Campanhas surgiram?

Criada aqui no Brasil, em Uberlândia – Minas Gerais, em 2014, a Campanha Fevereiro Roxo tem como lema: “Se não houver cura, que ao menos haja conforto”. Primordialmente, os criadores reforçam a importância de se proporcionar qualidade de vida aos portadores de doenças crônicas.

O Lúpus, a Fibromialgia e o Mal de Alzheimer são doenças distintas, mas que possuem características em comum:  não têm hora para se manifestarem, são “silenciosas” em seus sintomas, de progressão gradual e não possuem cura.

Desta forma, a campanha consiste na divulgação de informações destas enfermidades, através de palestras, ações e eventos online a fim de incentivar a população a procurar ajuda em caso de sintomas característicos. Grande parte do trabalho é feito por voluntários e organizações não governamentais (ONGS).

Por outro lado, a Campanha Fevereiro Laranja, foi inspirada no dia Mundial do Câncer – criado em 04 de fevereiro de 2005, pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) com apoio da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Ela visa informar a população sobre a relevância de se atentar para os sintomas relacionados à leucemia, um tipo de câncer que afeta os tecidos que formam células sanguíneas e impede que o corpo combata infecções.

Sem dúvida, o objetivo principal da Campanha é evitar milhões de mortes anuais pela doença, além do aumento da consciência e educação da causa por parte dos governantes.

De acordo com dados do INCA, a doença é o 9º câncer mais comum entre os homens e o 11º entre as mulheres.

Agora que já conhecemos um pouco mais sobre as campanhas Fevereiro Roxo e Laranja, chegou a hora de entendermos sobre cada uma das enfermidades:

Fevereiro Roxo: Lúpus

A Lúpus eritematoso sistêmico, também conhecida como LES, é uma doença inflamatória que pode afetar múltiplos órgãos e tecidos como pele, articulações, rins e cérebro. Ela é considerada rara e autoimune, isto é, o que ocorre na patologia é uma reação do sistema imunológico contra as células do próprio indivíduo. Além disso, acomete mais pacientes do sexo feminino do que pacientes do sexo masculino.

Em cerca de 80% dos pacientes, a doença afeta a pele e, sendo assim, o médico assistente responsável pelo diagnóstico e tratamento é o dermatologista.

Sintomas mais comuns:

  • Sensibilidade ao sol principalmente face, colo e braços;
  • Manchas avermelhadas que podem descamar e, as vezes deixar cicatrizes;
  • Quando manifestada no couro cabeludo, pode ocasionar queda dos cabelos.

Outros:

  • Dor nas articulações;
  • Mal-estar;
  • Perda de apetite;
  • Dor e dificuldade para respirar;
  • Redução do funcionamento dos rins;
  • Desmaios;
  • Convulsões.

Por fim, o diagnóstico é feito através da realização de exames laboratoriais e depende da comprovação da agressão ao órgão afetado. O início do tratamento realizado de forma precoce possibilita menores danos no organismo dos pacientes. 

Fevereiro Roxo: Fibromialgia

Já a Fibromialgia é uma doença reumática que ataca especificamente as articulações, causando dores por todo o corpo, principalmente nos músculos e tendões, podendo evoluir para incapacidade física.

Desta forma, seu diagnóstico baseia-se na identificação das modificações cognitivas específicas e se feito de forma precoce, permite alívio dos sintomas e a estabilização ou retardo da progressão da doença. Por não ter cura, os medicamentos têm como finalidade retardar os danos causados pela doença.

A doença, ainda de origem desconhecida, aflige bem mais mulheres do que homens e, principalmente, entre os 30 e 60 anos. A Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) calcula que a fibromialgia afeta cerca de 3% da população. O diagnóstico da fibromialgia é feito, sobretudo, através da realização da anamnese e exame específico.

Alguns sintomas comuns:

  • Dor generalizada;
  • Alteração no sono;
  • Inchaço e sensibilidade nas articulações;
  • Fadiga, cansaço excessivo;
  • Ansiedade;
  • Depressão.

Para alívio dos sintomas a recomendação é a prática de exercícios físicos, em conjunto com uma alimentação balanceada, ou seja, manter hábitos saudáveis. É importante frisar a importância de acompanhamento médico, durante todo o tratamento e, por consequência, no uso de medicamentos antidepressivos, ansiolíticos e relaxantes musculares – todos mediante orientação e receita de um profissional.

Cansaço exagerado e alteração do sono são alguns dos sintomas da Fibromialgia.

Fevereiro Roxo: Doença de Alzheimer

Não menos importante, o Mal de Alzheimer é um transtorno neurodegenerativo de evolução lenta e progressiva, que se manifesta principalmente em pessoas com mais de 65 anos. Tem como principal característica a perda de memória progressiva e é apontada pelo Ministério da Saúde como a forma mais comum de demência em idosos, sendo responsável por mais da metade dos casos.

Sobretudo, é necessária assistência médica e avaliação integral do paciente, já que trata-se de uma patologia crônica em que são recomendados o tratamento contínuo e o monitoramento do caso, com o objetivo de avaliar a atividade da doença.

Alguns dos principais sintomas:

  • Perda de memória, confusão mental, dificuldade para lembrar como executar tarefas simples do dia-a-dia, por exemplo;
  • Linguagem; confusão ao falar, dificuldade de lembrar vocabulários;
  • Percepção visoespacial – percepção do espaço;
  • Alterações comportamentais e sintomas neuropsiquiátricos que se agravam ao longo do tempo.
Perda de memória e dificuldade de executar tarefas simples do dia a dia são apontados como sintomas do Mal de Alzheimer.

Fevereiro Laranja: Leucemia

A Leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos sem origem conhecida que tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea – local que fabrica as células sanguíneas e ocupa a cavidade dos ossos. Em outras palavras, a doença se dá pela substituição das células saudáveis do corpo pelas cancerígenas. A enfermidade costuma se manifestar de forma repentina e agressiva. No entanto, as perspectivas de cura são boas — as chances de recuperação são de até 90%, caso diagnosticada nos estágios iniciais.

Os exames de sangue de rotina já são considerados preventivos contra a leucemia. Nesse sentido, em caso de qualquer alteração no sangue e suspeita da existência da doença, é indicado a realização de um procedimento chamado mielograma, que visa a coleta de uma pequena quantidade de medula óssea. Se o resultado for positivo, a recomendação é o início do tratamento de imediato.

Alguns sintomas:

  • Sangramento nas gengivas e no nariz;
  • Inchaço no pescoço;
  • Cansaço;
  • Dores nos ossos e nas articulações;
  • Sudorese noturna;
  • Perda de peso;
  • Manchas avermelhadas ou arroxeadas na pele.
  • Febre persistente, sem razão aparente;
  • Infecções frequentes
  • Tontura frequente.

Por fim, o tratamento da Leucemia consiste na administração de medicações quimioterápicas, objetivando a anulação das células doentes e o retorno à produção das células sadias. Entretanto, caso seja necessário, após o controle da doença, pode ocorrer o transplante da medula óssea.

Informações: Sociedade Brasileira de Dermatologia, Fibromialgia.com.br e INCA

Gostou do nosso conteúdo? Acesse nossas outras matérias do blog.

O que achou do post? Deixe aqui seu comentário. :)